“O ILUSTRADOR DO AMANHÔ (não resisti)

ilustrador_doamanhã-01

Semana passada eu fui assistir Ghost in the Shell (A Vigilante do Amanhã). E já admito: só vi alguns trechos do animé e não me lembro direito. Então fui neutra, sem qualquer expectativa. Como ilustradora eu poderia falar sobre os personagens do filme: Major, a Gueixa, Batou (que amei) ou dos concepts de cair o queixo criados por Maciej KuciaraMas como eu já imaginava, a história roubou a cena. E talvez pelo fato dos temas serem tão universais, essa obra prima criada por Shirow há 20 anos (mãe Diná fellings), também dá pano pra manga para nós ilustradores.

Hoje mesmo respondi um email de uma moça que me contou o quanto estava desanimada com a área, que tinha passado por maus bocados, mas que sentia que aquilo era o que ela queria fazer. Ouvi um podcast de criação que dizia sobre formas de encontrar sua própria voz na ilustração. Numa palestra sobre zen budismo, a frase “existe algo dentro de nós que procura” ficou na minha cabeça. Assisti um vídeo lindo essa semana, de senhoras falando sobre se preocupar mais em ser do que em fazer. Não é coincidência. 

Entre tantos temas, o filme fala sobre a busca da própria identidade e eu desconfio seriamente que na ilustração quem se sente realizado e feliz na profissão é o cara que está disposto a essa procura. Não é a tablet, não é o software. Mas o que está no nosso DNA e taí algo que nunca poderá ser manipulado. Quando você entende isso, o teu trabalho muda e você vai conseguir se manter na lida. E se a gente se propõe a essa busca, é certo que nem tudo será o sol do Teletubbies. E aí eu chego num outro ponto crucial para o ilustrador: enfrentar suas falhas e os tropeços pelo caminho. Você está correndo com vontade e dá uma topada estratosférica no dedinho do pé. Você não tava esperando, vê estrelas. Tudo bem, o dedinho do pé tem uma força inacreditável. Xingou? Chorou? Beleza, continua. Esses são os seus “glitches”. No filme ele são definidos como “falhas” do sistema, mas é isso que impulsiona a Major a continuar em frente. Vou te dar uns minutos pra pensar na beleza desse pensamento…sério.

O que eu noto é que existe um movimento grande de ilustradores temerosos. E eu não digo isso olhando a distância, mas com propriedade. Tirando o Demolidor, todo mundo tem medo de alguma coisa – mas tem que ver o quanto isso está te atrapalhando. O medo de ser rejeitado está nos top 5, concorda? Medo de mirar em objetivos grandiosos também está ali, no topo da lista. E esse último não envolve necessariamente um job pra Disney, mas desenhar um personagem novo todo dia, sem o objetivo de validação nas redes sociais, mas de ter o prazer de ver sua própria evolução acontecendo ali na sua frente, em tempo real. O quão grandioso é isso?

A real é que a gente não se encontra como ilustrador, porque tem a mania de esconder os erros, de varrê-los sem dó pra debaixo do tapete. Afinal, crescemos numa sociedade que enaltece o acerto, a vitória. Ninguém dá uma medalha de “parabéns, você se arriscou”. Mas como ilustradores (e importante frisar, seres humanos), não podemos encarar isso como uma verdade. Se você não conseguiu desenhar aquela mão do jeito que imaginou, não a coloque no bolso. Isso é trapaça, com você mesmo. Rabisque até conseguir. Desenhe 50 vezes se precisar. Preciso te falar que trabalhar com ilustração é isso – tem que ser casca grossa. Nunca desistir, entender o que te impulsiona, correr atrás e sempre que der, se jogar inteiramente nisso e curtir a jornada. 

ghost-in-the-shell-first-five-minutes-0

Você sabe o que tem que fazer. Close your eyes and jump, baby. 

Quero saber + sobre isso!

5 ILUSTRADORAS COM PÓ DE PIRLIPIMPIM QUE VOCÊ PRECISA CONHECER

5_ilustradoras

Pirlipimpim.

  1. pó com propriedades mágicas que algumas pessoas adquirem com muita dedicação e paixão pelo o que fazem e manifestam isso com talento incomum;
  2. substância que lembra glitter, porque pode durar para todo o sempre. 

Para homenagear as mulheres, estou aqui para falar de muito girl power na ilustração. Aqui neste post eu selecionei 5 ilustradoras que eu admiro muito e que têm uma visão diferente, instigante e criativa do mundo!

Eu carinhosamente digo que algumas pessoas nascem com pó de pirlipimpim, alguma coisa diferente que faz com que o mundo seja um lugar mais…legal. Essas moçoilas tem isso, sem dúvida.

Elas que se inspiraram em outras profissionais maravilhosas e que fazem parte de uma nova geração de ilustradoras estão fazendo bonito. Fiz questão de selecionar diferentes estilos e propostas pra você se inspirar no trabalho dessas lindas!

Quero saber + sobre isso!

5 FORMAS DE SE MANTER MOTIVADO NA ILUSTRAÇÃO E NÃO DEIXAR A PETECA CAIR NO COMEÇO DE CARREIRA

b5-FORMAS-DE-SE-MANTER-MOTIVADO-NA-ILUSTRAÇÃO

Engraçado que no começo do ano a gente recebe mais mensagens aqui no Estúdio, é batata. Desconfio que as pessoas estejam contagiadas com o ano novo e suas resoluções. Me chamem de insensível, mas não dou muita bola pra datas, sempre acho que o recomeço não pode depender de números (muito menos de segundas) – tem que ser algo que vem de dentro e deve ser feito sempre que der na telha mesmo numa quinta, às 13h46. Mas não estou aqui pra falar disso, elaiá que quase me perdi aqui.

A questão é que essas mensagens tratam de um mesmo assunto: aquela vontade de chutar o balde e viver de ilustração! Prometer pra si mesmo que vai desenhar todo dia, que será um ser humano melhor. Eu estou te olhando com o meu olhar de compreensão, porque afinal, quem nunca? E por isso, eu resolvi falar sobre 5 dicas que ao meu ver podem te ajudar a não deixar a peteca cair logo no começo de carreira, porque o começo é sempre mais truncado – mas quando você coloca na primeira, vai que vai.

Quero saber + sobre isso!

CORAÇÃO AGRADECIDO

clau_2016

Queridos clientes, freguesia, revendedores e alunos,

Eu queria ter feito um cartão lindo para vocês com uma frase que desejasse um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo com uma ilustração de um Papai Noel rechoncudo e cheio de graça. Mas esse teria sido só mais um cartão, que não representaria o que quero dizer pra vocês.

Em tempos de internet, fica difícil saber quem é o ser humano por trás da tela e por mais que eu trabalhe com desenho, o contato que tenho com muitos de vocês é cibernético e outros tantos que eu nunca nem cheguei a prosear por email. Quase caí da cadeira hoje, quando fui ver que 20mil pessoas sabem da existência do meu trabalho. Caso você não saiba, algumas coisas vem de fábrica em nós ilustradores e uma delas é a mongolice com números. Números neste caso não significam muita coisa mesmo e redes sociais são um profundo mistério pra mim, que sempre fui meio tardia quando se trata desses paranauês tecnológicos.

Mas a questão que me fez pensar nessa dimensão é quando parei pra ver todas as mensagens que recebi este ano e a quantidade de projetos que me envolvi. Nunca tive que fechar as porteiras do Estúdio pelo volume de trabalho. Nunca recebi tantos emails que vão desde convites para projetos muito especiais até relatos aflitos e existenciais de pessoas que estão na jornada da ilustração e precisam de uma ajuda-amiga. Isso significa tanta coisa, que não dá nem pra desenhar.

Respirei fundo e aquele liquidificador de sentimentos típicos de dezembro começou a dar um alô: felicidade por ter conseguido tanta força e dado conta do recado, uma certa frustração por pensar que não consegui escrever tanto quanto eu queria, responder todos as mensagens – meu Deus, deixei pessoas no vácuo! Uma exaustão inacreditável, tanto que meu corpo sucumbiu nesse final de ano e me falou: ô amiga, tu acha que é de ferro, só quero avisar que não é! Nostalgia, fome, e ah, também tem a ansiedade pelo ano que está por vir. O que será que será, Chico?! Que ano, meus amigos…que ano!

Esse 2016 foi imbatível, nas conquistas e também na dureza. Meu trabalho teve muito reconhecimento, mas levei porrada de todo canto da vida. Mudar de país foi uma delas e me virar numa língua que ainda não domino só me fez confirmar que escolhi a profissão certa. Um coração desenhado é reconhecido nos quatro cantos do mundo. Isso não é mágico? E pra confirmar ainda mais tudo isso vocês estavam ali pra eu não deixar a peteca cair. Mal sabiam que até nos emails mais objetivos e formais estavam fazendo toda a diferença pra roda continuar girando, pra eu poder fazer o dia todo (e muitas vezes a noite tb) o que mais gosto de fazer nessa vida. E eu espero que vc saiba o quanto é importante, uma poeirinha – mas uma poerinha danada de brilhante e que faz toda a diferença no universo.

Então notei que tenho uma lista de gente querida que me acompanhou este ano e nada mais justo do que falar com cada um que passou por aqui, certo?

Aos meus queridos ilustríssimos alunos. Acredite mais na dedicação, do que no talento. Pra você enxergar evolução, tem que praticar todos santo dia, mesmo que tudo o que vc queira fazer é assistir uma maratona da sua série favorita. Vez ou outra chega a dar uma bolha no dedo e se você persistir acaba virando um calo, que vai te lembrar que agora nem dói tanto assim. E é só usar um bandaid divertido, que tá tudo certo. Obrigada por me fazerem aprender tanto.

Aos fregueses da Lojinha. Vocês mal sabem o quanto me emocionei com suas fotos e histórias e o quanto me senti honrada em desenhar seus queridos. Para os que queriam fazer surpresas, fui parceira de crime. Para os que queriam mostrar o tamanho do seu amor, fui a interlocutora. Vocês foram inesquecíveis, obrigada.

Aos meus queridos clientes do Estúdio. Eu acredito que a gente não se esbarra à toa nessa vida. E muitos de vocês eu conheci este ano e já aprendi tanto e essa é a graça de trabalhar junto. Quantos projetos incríveis participei e como foi bom ver vocês envolvidos e dedicados pra que tudo saísse lindamente. Espero que tenham se divertido, porque ilustração também é isso. Aos que estão comigo há alguns anos, obrigada por continuarem me fazendo viver o sonho.

Aos meus revendendores, que mal conheço mas que já considero tanto! Queridos, vocês fazem parte do grupo seleto de pessoas que espalham alegria e fé pelo mundo (mesmo em momentos onde a economia/política faz com fiquemos temerosos). Obrigada por acreditarem nisso também.

Queria dar um chêro, um abraço apertado em todo mundo, um chocolate, olhar no olho e dizer obrigada – mas tentei dar um jeito com essas fotos que ilustram esse post. Juro que a ideia inicial era bater uma foto séria, digna de um disco Perfil – mas não seria o meu jeito de te dizer obrigada.

Dias atrás eu li um texto ótimo da Isa Ribeiro que falava que “dezembro são muitas vidas em um mês”. Tanta verdade que chega a dar um nó na garganta. Um misto de felicidade, exaustão, tristeza, nostalgia e…coração agradecido, principalmente.

Obrigada meus queridos e que venha 2017 <3

Quero saber + sobre isso!

5 DICAS DE COMO USAR O BEHANCE PARA ACHAR O ILUSTRADOR IDEAL PARA O SEU PROJETO

2d6b2b44598331-5817b7d0702ee

Se você me perguntar qual é a principal ferramenta de promoção do meu trabalho como ilustradora, eu vou te dizer com unanimidade que é o Behance. E não, eles não estão me pagando para falar isso. É nessa rede que os criativos expõem seus projetos, trocam figurinhas, buscam inspiração e o mais bacana de tudo, conseguem trabalhos.

Muita gente sabe o quanto o Behance é eficiente para nós, ilustradores, fotógrafos, designers (inclusive eu postei dicas-amigas sobre isso lá no meu blog). Mas o que pouca gente fala é do quanto é importante o cliente saber do que o Mr. Behance é capaz! E eu estou aqui pra gente ver que dá para encontrar o criativo ideal para o seu projeto de um jeito mais eficiente! 😉

Quero saber + sobre isso!

SAINDO DA TOCA: DESENHANDO NO MUSEU DE ARTE DE ONTÁRIO

capa_ago

Hoje estamos cultos, transgressores, reflexivos. Esse post é pra quem reclama que está com bloqueio criativo, que não consegue destravar a munheca, que se sente incapaz de desenhar fora de casa. Então dá a mãozinha aqui, que eu vou te levar comigo pra ver como dá pra tirar muita inspiração do mundão que está lá fora e como isso pode te dar combustível para os jobs do dia a dia e também para os seus projetos pessoais 😉 Você não precisa levar um arsenal imenso: uns dois lápis, borracha, um sketchbook de capa dura e sua cabeça bem aberta e relaxada. Se quiser, finalize em casa, mas a ideia aqui é tentar fazer o máximo que der fora de casa!

E nesse primeiro vídeo da série Saindo da Toca, vamos visitar o Museu de Arte de Ontário e desenhar como le gusta, ilustríssimos. Afinal, não é todo dia que você desenha junto com Rembrandt, então vamos aproveitar a oportunidade?! Vamos. Mas lógico que eu não conseguiria só desenhar de boas. Também atrapalhei um grupo de visitantes e fiz vergonheira em público quando vi meu quadro preferido de Andy Warhol. Achegue-se:

Quero saber + sobre isso!

SABE DE NADA, INOCENTE

sabedenada_ilustra_2

Nessa semana, em meio a jobs, lápis para serem apontados e um cronograma louco eu me vi sendo colocada bem no meu lugar. Logo ali, onde todo mundo está. Desde que me mudei pro Canadá tudo tem sido na vibe dos dois lados da moeda: aqui não funciona assim/é assado, isso é bem estranho/olha que legal, preciso visitar aquele lugar/não dá tempo, será lindo/que medo, to fera no inglês/o que ele disse? Essas coisas. E no meio disso a pessoa aqui está em total imersão para saber qual é a real de ser um ilustrador no Brasil e em terras gringas. Porque afinal, eu toda pimpona trabalho há 10 anos com isso e aqui não deve ser muito diferente, certo? Então…Revendo algumas coisas aqui e ali, de repente notei algo que pode ser assustador: eu precisava começar do zero.

Eis que me vi numa piscina imensa de bolinhas e estou descobrindo algumas coisas que nunca nem passaram pela minha cabeça. Bate aquele sentimento de que você hibernou por 3 invernos seguidos, mas não lembra nem de ter tirado um cochilo, muito menos de ter reserva de comida. Livros como o Handbook Pricing & Ethical que deveria ser lido mesmo que você nunca nem pense em ter um cliente fora das terras tupiniquins, podcasts voltados para ilustradores (feito, inclusive por um) como o Creative Pep Talk e descobertas como a fofinha da Kendyll Hillegas, com um canal pra lá de querido que explica dúvidas que torturam e que já me perguntaram tantas vezes tb…pelo-amordedeus-como-escanear-minha-aquarela?

Quero saber + sobre isso!